• Categorias

  • Arquivos

  • Agenda

    outubro 2009
    D S T Q Q S S
    « set   nov »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728293031

Crítica: Bastardos Inglórios, de Quentin Tarantino

PhotobucketA reação do público, em especial o feminino, durante a projeção de Bastardos Inglórios (Inglourious Basterds/EUA, Alemanha/2009) denota a maior incursão do diretor-geek Quentin Tarantino no cinema comercial. De fato, comparado com trabalhos recentes do diretor como a hiper-mega-cult duologia Kill Bill e À Prova de Morte, Bastardos se apresenta revestido por um tema mais amigável ao frequentador comum dos multiplexes, a Segunda Guerra Mundial. Entretanto, não se engane. Apenas o pano de fundo habitual está alterado, o bom e velho Tarantino está lá, e melhor do que nunca.

Durante o conflito, um grupo de soldados judeus-americanos, liderado pelo Tenente Aldo Raine (Brad Pitt), descendente de índios, desembarca na França ocupada com um único objetivo: matar nazistas, qualquer um, use ele uniforme ou não, e da forma mais brutal possível. Esta pequena associação letal é bem sucedida, e o grupo acaba por ser apelidado pelos militares alemães de “Os Bastardos”. Paralelamente, uma sobrevivente de um massacre judeu perpetrado por soldados nazistas, Shosanna Dreyfus (Mélanie Laurent), tem a oportunidade de ouro de planejar uma vingança não apenas contra seus algozes, mas contra praticamente todos os figurões do 3o Reich. O caminho de ambos os núcleos narrativos tende a se cruzar no final do filme, produzindo um clímax simplesmente genial.

Mesclando as já esperadas inúmeras referências pop-nerds com atuações beirando a perfeição, Tarantino nos entrega um filme extremamente bem conduzido. Se você é uma pessoa que preza por reconstituições históricas fiéis e bem elaboradas, esta sua característica tem que ser suspensa durante as quase duas horas em meia de filme. Não é a intenção do diretor apresentar fatos históricos acurados, mas sim entreter de forma inteligente.Photobucket A violência explícita e caricata, tão presente nos projetos anteriores de Tarantino, parece um pouco mais contida em Bastardos, mas ainda sim capaz de tirar suspiros e lamentações do público não-tarantinesco. Para quem viu a famosa cena da colisão automobilística em À Prova de Morte, quase nada assusta mais…

O time de atores não tem um desempenho abaixo do ótimo. Brad Pitt, Eli Roth, Diane Kruger e os outros nomes fortes do imenso elenco oferecem atuações acima da média. Porém, apenas um dos atores pode ter sua atuação classificada como fenomenal. Christoph Waltz, que interpreta o Coronel nazista Hans Landa, “o caçador de judeus”, deixa o espectador boquiaberto. Amedrontador, cruel, sarcástico, sedutor ao mesmo tempo, Waltz cria um personagem que rouba para si o filme, e é responsável pelo fascínio e a tensão criados na cena de abertura da película, na qual o Col. Landa procura por uma família de judeus na casa de um camponês no interior da França. Outras duas sequências podem ser destacadas:Photobucket a do encontro entre soldados do grupo do Tenente Raine com uma espiã alemã (Diane Kruger), onde Tarantino consegue casar com perfeição suspense, humor e brutalidade; além da sequência final do filme, que se desenrola no cinema que Shosanna administra em Paris, e é a cereja do bolo que me fez sair da sala depois da projeção mais do que satisfeito.

Boa parte da crítica tem elogiado bastante Bastardos Inglórios; entretanto, alguns chatos tem reiterado o fato de Tarantino não mostrar amadurecimento em termos narrativos. Sandices apenas, este é de fato o filme onde o diretor demonstra claramente total domínio do ato de levar às telas um conceito de história; Tarantino não só sabe dirigir atores, como dá a devida importância a aspectos técnicos. E daí se ele repete o jeitão cartunesco de conduzir  a fita? O que importa é que é bom, é divertido, e vale cada centavo dispendido no ingresso.

Notas (numa escala de 0 a 5):

Imagem: 5

Som: 4.5

Geral: 5

*O filme foi visto no Cinemark Botafogo, Botafogo Praia Shopping, Praia de Botafogo, 400, Piso 8, Botafogo, Rio de Janeiro – RJ.

**Imagens: Rotten Tomatoes

***Trailer:

5 Respostas

  1. Cara, tou precisando ver esse filme! Tarantino é o meu diretor favorito, sem sombra de dúvidas! Hahaha

    Não acredito que será melhor que Pulp Fiction, mas com certeza vou adorar Bastardos.

  2. Epaaaaaaaa

    Quero ver muito esse filme, Amigos,: Diego, Vivi e companhia limitada, parabéns pela ótima proposta deste blog.

    Sucesso,
    Abraços!

  3. Olha a Fany! Saiu das trevas! AGORA eu tô com medo!

  4. Tarantino SEMPRE surpreende, já vi outros nerds falarem isso, mas agora é a minha vez.

    Primeiramente, quero dizer que saí do cinema meio perturbado. Por mais que eu achasse que conhecesse esse diretor, eu não consegui prever a minha reação ao sair da sala. Daí você pergunta: “saiu maravilhado com o filme?”, eu respondo: cara, não sei o que achei do filme ao sair da sala, e no caminho de volta pra casa fui refletindo sobre o que eu vi.

    Achei o final muito de repente, mais que o próprio À Prova de Morte, já que esse já tendia ter um final “trash” pelo estilo de filme. Bastados Inglórios me pegou desprevinido, eu ainda montava as peças, quando os créditos apareceram na tela! Hehehe

    Mas ainda em volta pra casa, eu pensei “dane-se! Me diverti bastante assistindo aquilo!”, mas pra ser sincero, acho que preciso assistir mais uma vez!

    Mas já adianto uma coisa: eu ainda prefiro Pulp Fiction! Hehehe

  5. A maioria das pessoas com que não gostou do filme tem reclamado que algumas cenas são longas demais…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: