• Categorias

  • Arquivos

  • Agenda

    abril 2010
    D S T Q Q S S
    « mar   maio »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    252627282930  

Desenterrando Tranqueiras: Berserk – parte 1

Berserk é um mangá criado por Kentaro Miura, em 1988. E isso é tudo que eu consigo escrever antes de assumir o meu lado absolutamente fanático pela série. Se você quer uma resenha imparcial sobre a obra, é melhor procurar outro colunista… Agora que eu já tirei isso do meu sistema, podemos continuar:

Berserk, como eu disse antes, é um mangá cuja história gira em torno de Guts, um guerreiro órfão que foi criado desde bebê por mercenários em um cenário de Dark Fantasy, muito semelhante à Europa da Idade Média. Para a série, no entanto, está mais para uma verdadeira Idade das Trevas, considerando o grau de violência e perversidade presente. Nenhum personagem aqui está livre de sofrer violências e destinos terríveis, ninguém é verdadeiramente bom e, absolutamente, ninguém tem uma vida feliz nesse mangá. E se eu fosse você, não esperaria por um final feliz, também.

Para começar, nas primeiras páginas do primeiro volume, Miura nos apresenta um homem alto e forte, fazendo sexo com uma mulher momentos antes desta se revelar um demônio e tentar matá-lo. A tentativa termina com o demônio tomando um tiro do canhão que Guts possui acoplado em seu braço mecânico. Com essa cena, o autor já traça o estilo de toda sua obra: um trabalho extremamente explícito, tanto na violência quanto na sexualidade. Não é uma história para menores de idade. Os temas são adultos, os problemas enfrentados pelos personagens são complexos e o clima é extremamente pesado e sombrio o tempo todo, mesmo depois que Puck, o pequeno pixie piadista é introduzido na história. Por mais que ele imite o Mestre Yoda, faça caras hilárias e referências à cultura pop à torto e à direito, Puck só torna o peso da história mais tolerável.

Temas como fanatismo exacerbado, corrupção tanto da moral pessoal quanto dos grupos dominantes, a decadência de uma sociedade em meio ao caos da guerra e a escatologia humana, todos eles abundam. E isso, senhores, é apenas a primeira edição. Berserk é um mangá sombrio em seu enredo e os personagens possuem profundidade como em poucos outros mangás que conheço. A violência quase chega ao nível de ser gratuita, mas nunca o é. Lembre-se, essa é uma história de um mercenário, um homem que é pago para matar, e que vaga em busca de vingança. O motivo dessa busca só é revelado muitas e muitas edições depois.

Uma cena do anime de Berserk, que retrata a Era de Ouro

Berserk é dividido em vários arcos. O primeiro deles, o “Arco do Espadachim Negro“, é apenasa apresentação de dois dos personagens principais, Guts e Puck, e para mostrar à que a série veio. É um pedaço curto da história, integrado apenas pelos primeiros dez capítulos. Os próximos cento e dois capítulos compreendem o “Arco da Era de Ouro“, onde Guts é reapresentado, agora bem mais jovem, antes dos eventos acontecidos no arco anterior.

Guts, como protagonista da série, parece ser apenas um guerreiro genérico com uma espada gigante, coisa bem típica nos animes e mangás… Mas nada, absolutamente nada nessa história é gratuito. O porque deste mercenário ser alguém tão sedento de sangue e impiedoso, ao ser apresentado dezenas e dezenas de capítulos no futuro, bate como uma marreta na história, esmigalhando toda esperança que o próprio leitor possa ter. Tudo o que foi apresentado até aquele momento na série se faz parecer uma calmaria antes da tempestade de sangue e ódio. A vida de Guts é mesmo o inferno na terra que ele faz parecer no “Arco do Espadachim Negro” e o próprio leitor passa a acompanhar o protagonista em seu desejo de vingança contra aquele que lhe fez um mal imperdoável. Não, eu não vou contar quem faz o que com ele, mas acredite em mim. Você vai querer matar o filho de uma cadela com suas próprias mãos.

O “Arco da Era de Ouro” começa com um tom um tanto diferente do anterior. Aqui são introduzidos vários personagens cuja trama também estará constantemente girando ao redor: Caska, a segunda em comando do Bando do Falcão; e o carismático líder desse grupo de mercenários, Griffith. Vários outros membros do Bando do Falcão também são centrais aqui e o autor consegue fazer com que cada um deles seja um personagem único e atrativo. Os temas mais abordados serão a luta pelo sonho, amizade, destino, confiança e a infância de Guts em vários flashbacks.

Para virar um adulto cascudo como é, Guts teve uma infância igualmente terrível. Nascido do cadáver de sua mãe enforcada em uma árvore e pego para criação pela esposa de um líder mercenário chamado Gambino, o protagonista da série sempre foi tratado como objeto de repúdio pelo péssimo presságio que representava. Além disso, como o próprio Gambino diz, ele não iria comer de graça entre aqueles homens, começando a ser treinado na arte de matar desde os seis anos de idade. O legal é que aqui também é dado um motivo de porque Guts usa uma espada tão grande no arco anterior: ele sempre foi obrigado a treinar com a arma feita para um adulto. Logo, é natural que ele terminasse acostumado com uma espada sempre maior do que ele próprio. Nada menos que uma montante seria apropriado para Guts em sua vida adulta. Os abusos em sua infância culminam com seu estupro por um “companheiro” de bando e, mais adiante, uma tentativa de assassinato pelo próprio Gambino, que sai pela culatra. Guts termina com o sangue de seu pai adotivo e abusivo em sua própria espada e quase morto pelos outros membros de seu grupo mercenário, sendo obrigado a se tornar um andarilho eternamente desconfiado, isolado e traumatizado à partir de então.

Até seu encontro com o Bando do Falcão e com Griffith.

É nesse momento que a vida de nosso anti-herói brucutu dá uma guinada em direção à glória e, sob o comando de Griffith, ele atinge níveis de confiança e aceitação entre seus companheiros, ou melhor dizendo, amigos de bando que Guts nunca antes imaginou ser possível. Mas, óbvio, isso não dura para sempre…

Não perca no próximo Desenterrando Tranqueiras sobre Berserk: Ascenção e queda, demônios por todos os lados, fantasmas, um deus do abismo e Causalidade!

19 Respostas

  1. a primeira vez q ouvi falar do manga foi com um amigo q veio do japao, ele me mostrou um episodio do anime e eu nao gostei muito, pq eu achava q era igual a o samurai x.

    aqui o primeiro episodio em portugues:

    mas depois do gavestatica sobre os norticos, procurei saber um pouco mais sobre os berserks e achei no youtube o primeiro episodio q é bem violento, do jeito q eu gosto.

  2. o anime é uma porcaria comparado ao mangá
    o mangá é “From hell”
    muito boa aiken

  3. ei aiken quando vc vai escrever sobre o conan?

    lembre-se dos fãs rs

  4. bem legal mesmo cara.

    fiquei curioso

  5. Ei Aiken, quantos orgasmos você teve enquanto escrevia essa resenha?

  6. leiam o mangá não percam tempo com o anime

  7. Porque a maldita matéria se recusou a ficar Justificada, eu não sei…

  8. Rapaz, ótimo texto! Fiquei com vontade de conhecer.

  9. Bom, muito bom.
    Resolveu escrever sobre Berserk por que, hein ?
    Por que é o melhor mangá que existe, talvez. Ou também.
    Fiquei curioso com o “Ascenção e Queda”.

    Té a próxima =D

  10. Muito bom o texto, Aiken. Sem frescura e sem lubrificante! Hahaha

    Abração

  11. Sou MUITO fã de bersek e mal posso esperar pela parte 2.
    Bem legal.

  12. Berserk é cascudo mesmo.
    Queria ter a oportunidade de ler o manga inteiro, pois ele tem eventos após o fim do anime.

    • Velho, facilmente dá pra achar umas versões tanto pra download quanto pra ler online por aí. Eu recomento ler o mangá todo sim, sem dúvida.

  13. esse mangas tem final…? estou curioso.. por que naum encontro ele aqui na minha area então vej em sites .. especialidos em mangas .. na net… soh que soh vão até 328.. mangas…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: