• Categorias

  • Arquivos

  • Agenda

    agosto 2010
    D S T Q Q S S
    « jul   set »
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    293031  

Gavestúdio: Na Hora do Show

Nesse gavestúdio você terá algumas dicas pra quando subir ao palco e, pra você que não é músico, algumas curiosidades musicais de bastidores.

Primeiramente é muito importante você chegar no dia do Show, muito, mas MUITO bem ensaiado, eu recomendo até tentar ensaiar algumas vezes com o metrônomo (grosseiramente explicando, um contador de batidas que regulado o tempo da melodia) que ajuda demais os músicos na hora de tocar, pois não deixa o tempo da música cair, ou a banda adiantar demais. Confesso que é difícil se acostumar com o ele e que talvez seja até incômodo usa-lo no show quando não se está bem habituado, porém tentado usar na medida certa durante os ensaios na, hora “H” ajuda a banda a lembrar os tempos certinhos das músicas.

Sabendo que a banda está bem ensaiada é bom chegar meia hora antes ao local do evento e ver qual equipamento será usado. Para os guitarristas, quando tiver pertinho da hora de subir ao palco, vá passar o som com a banda, independente do equipamento que você usa, se pedais ou pedaleira multi efeito, tente timbrar para o Amplificador que tem à disposição, caso você seja um músico famoso não precisa ler esta parte e é só mandar buscar a sua Mesa Boogie Triple Rectifier e mandar ver. Caso não seja, tente um ajuste rápido no timbre, sem alterar muito os parâmentros, para não se perder, preste MUITA atenção aos volumes, teste seu boost e veja se o som realmente está na altura correta, pois talvez na hora do solo você precise de um pouco mais de volume para que o som de sua guitarra se destaque.

Você pode pensar, “mas meus efeitos estão regulados!”, porém, a não ser que o Amp que você regulou seja exatamente igual ao que tem à disposição no palco, é necessário um ajuste mais “fino”. Para o baixista vai a dica: deixe o Amp todo “flat” com todos os botões do equalizador de médios, graves e agudos, no meio, e à medida que for testando, veja de que precisa, se quiser um pouco de “corpo” no som dê mais um grave, se quiser mais um “estaladinho” dê um toque no agudo, e arredonde nos médios, sempre com calma e paciência. Para o baterista, talvez o som já esteja pronto. Só dê algumas dicas na hora de tocar pra o mesário aumentar o volume de alguma peça da bateria se tiver certeza do que está pedindo, caso precise de mais retorno, peça sempre um com voz e baixo, para ajudar a não se perder na hora da execução das músicas.

O retorno é uma parte bem importante do processo, pois todos precisam se ouvir. É HORRÍVEL tocar sem se ouvir, e isso é bastante comum em show com pouca estrutura. É muito legal quando se chega num local onde o som do PA está bem dividido e bem definido em relação ao som de palco, pois os retornos são o som para a banda, e os PA’s são os que vão dar o som de palco para a platéia. Lembre-se que o som do Amp é para o seu retorno, no caso de baixistas e guitarristas, e o “som pra galera” vai sair ou de um microfone na “boca do caixa”, ou de uma saída de linha que o amplificador possa ter, então, nada de volumes extremos, porque, afinal, num som bem dividido se você aumentar até o “talo” o volume do som no seu Amp, o do PA não será mudado pois volume de PA é diferente de volume de retorno, sendo assim, use seu bom senso para que você se ouça e não atrapalhe no retorno dos outros no palco.

Caso a banda tenha mais de um guitarrista e só disponha de um amplificador para guitarra, isso implica que terá que ligar uma das duas diretamente na mesa, complica, pois, pra extrair um som legal é mais difícil. Não impossível. E você vai ficar totalmente dependente do retorno que normalmente é só usado para a voz. Se você usar pedais, o som vai ficar horrível, pois, a impedância dos pedais não “casam” com a impedância da mesa de som, se dispuserem de um Direct Box será ótimo pois esse equipamento balanceia a impedância e o resultado vai ser melhor. Caso não tenha, dê preferência ao guitarrista que use multi efeito, e se os dois utilizarem pedais, paciência, tente regular o menos “agressivo” possível para os ouvidos, pois o som vai estar na cara do público e isso pode interferir na execução das músicas.

No mais, com todos os detalhes acertados, ensaiados, e “na pilha”, curta o show, porque essa é a melhor parte de se ter uma banda. E a última dica que dou: cuidado com a empolgação natural do show, curta se divirta mas não esqueça que você é parte integrante do som que está saindo dos alto falantes e quando a empolgação é demais, é perigoso acabar se perdendo nas músicas. Atenção com a iluminação, às vezes o palco fica todo escuro, às vezes acendem luzes fortes na sua cara; tem a “desgraça” do gelo seco, e sua atenção tem que estar redobrada para a execução da música, pois são fatores que atrapalham.

Grande abraço pessoal e espero que tenham curtido esse post mais “técnico”.

Uma resposta

  1. super irado o tema
    para os baixistas a pior coisa do mundo é vc ir tocar e chegar lá o cubo é ruim, mata completamente, principalmente quando vc usa efeitos, já teve casos do meu baixo parecer uma guitarra usando Fuzz de tão ruim que era o cubo, mesmo tendo segurado o som dele😄

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: