• Categorias

  • Arquivos

  • Agenda

    outubro 2010
    D S T Q Q S S
    « set   nov »
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31  

Gavestúdio: Rage Against the Machine – Política, Música e Protesto

“For example What does the billboard say Come and play, come and play Forget about the movement!” – Freedon – RATM

   Ao meu ver, sem dúvidas, é a banda mais impressionante desde os anos noventa. Donos de uma musicalidade maravilhosamente singular e de um ativismo político polêmico, o RATM (Rage Against the machine) surpreende a cada apresentação. Formada por Zack de La Rocha (vocal), Tom Morello (guitarra), Tim Commerford (baixo) e Brad Wilk (bateria), a banda tem um som com influências de hip-hop, punk e funk, porém se distingue muito desses estilos através de uma combinação única e letras politizadas.


Photobucket

O RATM surgiu no inicio da década de noventa com seu primeiro álbum que leva o mesmo nome da banda, trazendo faixas como Wake Up (trilha do filme Matrix), Freedon e Killing in the Name. Com o sucesso do disco, aliado à postura do conjunto em relação à política norte americana, os caras logo foram censurados e proibidos de tocar em vários estados dos EUA.

Com o lançamento do álbum Evil Empire, que entrou direto no primeiro lugar do top 200 da Billboard (também criticada pela banda), vieram músicas como Bulls on the Parade (presente no jogo “Guitar Hero 3” no qual Tom Morello é um dos personagens exclusivos) e People of the Sun. Em 1999 eles lançam o álbum Battle of Los Angeles, que trás músicas como Testify, Guerrilla Radio e Sleep Now In Fire. Em 2000, Zack anuncia sua saída da banda, “Sinto que é necessário abandonar os Rage, pois não estamos conseguindo tomar decisões em conjunto. Já não funcionamos como um grupo e eu acredito que esta situação está destruindo os nossos ideais políticos e artísticos. Estou muito orgulhoso do nosso trabalho, quer como ativistas, quer como músicos, e também agradeço a cada pessoa que expressou solidariedade e partilhou esta incrível experiência conosco”. Alguns afirmam que a saida de Zack do grupo foi devido ao fato do baixista Tim Commerford ter escalado a estrutura do palco do VMA em protesto ao Limp Bizkit – sempre o Limp Bizkit – ter ganhado o premio de melhor banda de rock do ano. Pouco tempo depois a banda se juntou a Chris Cornell, que na época era o ex-vocalista do Soundgarden, e formaram o Audioslave, com características musicais diferentes, porém muito boas. Mas em 2007 voltaram com suas bandas antigas.

Photobucket

O protesto do RATM não fica apenas nas suas músicas. Em 1999, eles participam de um concerto a favor de Mumia Abu-Jamal e logo depois, em genebra, Zack de La Rocha manifesta contra a ONU e a pena de morte sobre o caso.  No Woodstock 99, queimam a bandeira dos EUA enquanto tocam Killing In the Name. Além disso, durante a apresentação do No Lollapalooza III, eles sobem no palco, mas não tocam, fazem apenas um protesto anticensura contra a PMRC (Parents Music Resource Center), no qual cada membro da banda fica de pé, nu, durante cerca de 15 minutos, cada um com uma fita preta na boca e com as letras P (Tim), M (Zack), R (Brad), e C (Tom) escritas no peito, respectivamente. Durante a gravação do clipe de Sleep Now In Fire, que foi gravado em pleno dia na Wall Street, dirigido por Michael Moore (famoso por documentários como Fahrenheit e Roger and Me), houve uma grande confusão que levou a bolsa fechar 1h mais cedo gerando grande prejuíso e a prisão da banda. E recentemente, no SWU, o Rage tocou vestindo um boné do MST (Movimento dos Sem Terra). Nesse momento, a Multishow subitamente corta a transmissão da apresentação, alegando em seguida que devido a um tumulto causado, alguns equipamentos foram quebrados, impossibilitando a exibição do evento, o que levanta certa dúvida.

O RATM é uma das poucas bandas que são melhores ao vivo do que em estúdio, confira o show do SWU

9 Respostas

  1. Conheci o Rage pelo clipe da música Testify, que é bem louco, por sinal. Assim como a própria música. =]

    Não teve um dos integrantes que morreu, ou tou ficando doido?

  2. Além de ser uma ótima banda, politizada como poucos artistas no mundo são, o Rage Against the Machine tem um gênio na guitarra. Tom Morello é um dos raros guitarristas que criaram uma identidade sonora no instrumento. Além de tocar com um nível de técnica absurdo, ele tbm entende mto da parte eletrônica da coisa… customiza as guitarras, pedais e amplificadores pra obter os efeitos que quer.

    • cara a unica palavra que me vem a mente para tom morello é: Gênio quando vi o set de pedais dele fiquei tonto, o cara não usa mais de 6 pedais e faz aquela destruição toda
      quando seiu o guitar hero 3 que tinha uma batalha entre ele e o slash fizeram vairos videos de comparação e kct 2 guitarristas muito bons em estilos diferentes mas o tom ainda destroi

  3. Sem duvida uma das melhores bandas da epoca que eu era moleque

  4. Gosto bastante de RATM, apesar de achar a militância política deles válida, porém um tanto quanto ingênua. Lembro que quando era moleque achava quea banda era mexicana, som fodaço!

  5. Suspeito a falar do Rage… aprendi a tocar o baixo tirando todas as musicas do primeiro CD (o melhor na minha opniao, nao que os outros sejam ruins)… so choro por nao ter ido ao show em Itu…

  6. Aliás costumo dizer que minhas bandas favoritas são os 3 RÁs: Ramones, Rancid e Rage Against… rsrsrs, nada a ver…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: